"

VALE 360 NEWS – NOTÍCIAS DO VALE DO PARAÍBA E LITORAL NORTE

As principais notícias do Vale do Paraíba e do Litoral Norte em destaque

Vale do Paraíba fica fora da lista de regiões que irão receber novos lotes da vacina contra a Dengue

Advertisement

Vale do Paraíba fica fora da lista de regiões que irão receber novos lotes da vacina contra a Dengue. A divulgação foi feita nesta quarta-feira (27/03) pelo Ministério da Saúde. O Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira é a região do Estado de São Paulo com maior número de mortes, 32 até a tarde desta quarta. No número de casos confirmados, a região metropolitana do Vale do Paraíba só perde para a Capital, São Paulo. Até aqui são 53.643 casos contra pouco mais de 89 mil da Capital. CLIQUE AQUI E ENTRE NO NOSSO CANAL DO WHATSAPP

Dos 154 municípios que serão contemplados pelas novas vacinas distribuídas pelo Governo Federal, parte deles está na região de Campinas, São José do Rio Preto, Aquífero Guarani e a cidade de São Paulo. Destas regiões, a de Campinas tem 52.171 casos confirmados e nove mortes pela doença. Rio Preto tem 8.867 confirmações e cinco óbitos.

De acordo com o Ministério da Saúde, a distribuição acontece ao serem observados critérios estabelecidos quando da distribuição dos primeiros lotes: Regiões de Saúde com municípios de grande porte com alta transmissão nos últimos dez anos e população residente igual ou maior a 100 mil habitantes, levando também em conta altas taxas de transmissão nos últimos meses.

Para quem será destinada a vacina contra a Dengue

O imunizante é destinado a pessoas de 10 a 14 anos, público que concentra a maior proporção de hospitalização pela doença. O esquema vacinal é composto por duas doses com intervalo de três meses entre elas. A previsão é que na próxima semana as doses redistribuídas comecem a ser utilizadas, a depender do processo de remanejamento próprio de cada localidade.

Há 668 mil doses próximas do vencimento, previsto para 30 de abril: 523 mil em junho; e 84 mil em julho. Durante entrevista a jornalistas, nesta quarta, o diretor do Departamento do Programa Nacional de Imunização (DPNI), Eder Gatti, explicou o esquema de ampliação de municípios contemplados. “Não podemos deixar essas doses vencerem. Diante disso, o Ministério trouxe uma solução: redistribuir, dentro das unidades federadas, ou seja, dentro dos estados, para municípios que ainda não foram contemplados”, disse.

O remanejamento das doses próximas do vencimento para municípios dentro dos próprios estados será detalhado em nota técnica a ser divulgada ainda hoje. Mato Grosso do Sul não fará parte da redistribuição, pois todos os municípios do estado foram contemplados inicialmente. É também o caso do Distrito Federal – a unidade federativa que abriga a capital federal não possui municípios. O Amapá foi selecionado para receber as doses que sobraram dessas unidades federativas, considerando a situação epidemiológica do estado.

 Municípios fazem parte de 11 Regiões de Saúde que receberão a vacina contra a Dengue:

  • Central – ES
  • Betim – MG
  • Uberaba – MG
  • Uberlândia/Araguari – MG
  • Recife – PE
  • Apucarana – PR
  • Grande Florianópolis – SC
  • Aquífero Guarani – SP
  • Região Metropolitana de Campinas – SP
  • São José do Rio Preto – SP
  • São Paulo – SP

Mais doses vacina contra a Dengue

O ministério recebeu nova remessa de doses contra a doença. Ao todo, 930 mil doses serão distribuídas para os 521 municípios inicialmente selecionados e para os 154 agora contemplados com a ampliação. “Enviaremos uma parte dessas doses para repor as que foram remanejadas em municípios inicialmente contemplados. Assim, garantiremos a continuidade da vacinação em locais com dose por vencer agora e que vão redistribuir. Nós também vamos garantir doses para aqueles municípios que estão vacinando bem, para que eles continuem a estratégia de vacinação”, disse Eder Gatti.

A pasta reforça que as vacinas são um importante instrumento para frear o avanço da dengue no país. No entanto, diante da pouca oferta de doses por parte da fabricante, o foco segue na eliminação dos criadouros do mosquito. 

Questionamento ao Ministério da Saúde

A reportagem fez contato com o Ministério da Saúde para saber pelos quais motivos o Vale do Paraíba ficou sem ser contemplado, porém ainda não obteve respostas.

Imagem de Drazen Zigic no Freepik

*Não perca a oportunidade de ficar bem-informado (a). Ganhe tempo e receba no seu Whatsapp as principais notícias do Vale do Paraíba. É simples, aperte o botão abaixo e entre no nosso grupo.