VALE 360 NEWS – NOTÍCIAS DO VALE DO PARAÍBA E LITORAL NORTE

As principais notícias do Vale do Paraíba e do Litoral Norte em destaque

Caseiro que matou companheira com facão em Jacareí disse ter sido agredido por ela com o objeto. Ele foi ouvido e liberado

Advertisement

Caseiro que matou companheira com facão em Jacareí disse ter sido agredido por ela com o objeto. Ele se apresentou de forma espontânea na DDM (Delegacia da Mulher), nesta terça-feira (30/05), foi ouvido e liberado. O caseiro disse que está muito arrependido e que os acontecimentos se sucederam porque ele “estava cego de raiva”.

O indiciado, ao lado do advogado, contou que trabalha no sítio localizado na Estrada do Jamic e que conheceu Patrícia da Silva Calmo, de 39 anos, há quase 20 dias. A “amizade” com a moça começou através de um Pastor, cuja filha ficou presa com a vítima. Em depoimento, o caseiro relata que o Pastor achava uma boa ideia conhecer Patrícia, coisa com a qual o autor do crime concordou.

Trocas de mensagens e encontro

O caseiro relata que trocou mensagens por meio de aplicativo com Patrícia por uma semana. Mais confiante em relação às conversas, ele conta que enviou R$ 200 via Pix para que a mulher pudesse comprar a passagem de ônibus e se deslocasse para Jacareí. No dia combinado, ele foi até a rodoviária e conheceu Patrícia.

A convivência e os relatos da vítima

Ainda disse em depoimento, ele relatou que a primeira semana foi de convívio harmonioso, com os dois dormindo na mesma cama, porém depois de alguns dias a vítima preferiu dormir em um cama de solteiro na mesma casa. Eles tiveram poucas relações sexuais, visto que a mulher, segundo o indiciado, lhe disse não gostar de homem e revelou ter tido uma relação com outra mulher.

Ela ainda contou a ele que havia sido abandonada e vivia na rua, foi usuária de drogas e cometeu alguns ilícitos, além de ficar presa durante cinco anos por conta do último crime. A mulher cumpria pena em regime semiaberto até o ano de 2025.

Pressionado

O homem contou ainda que a mulher exigia que ele comprasse jogos de panelas novos e até mesmo um tanquinho de lavar roupas e ele disse que havia avisado a ela que era uma pessoa pobre e honesta. Ele afirmou que teve um bom domingo, e no início da noite, entre 19h30 e 20h, Patrícia lhe disse estar decidida a ir embora. Ele concordou com a posição da mulher e teria oferecido dinheiro para pagar a passagem de volta, mas a mulher queria outro pagamento segundo ele.

O crime

O acusado disse que a mulher deixou claro que não iria sair da casa sem que o caseiro arcasse com outro valor em dinheiro e ele falou que não tinha dinheiro para dar a ela. Neste momento, segundo o indiciado, Patrícia se enfureceu e passou a lhe xingar com palavras de baixo calão. Depois dos palavrões, ele narra que a mulher saiu do quarto do casal e retornou segurando um facão, que é material de trabalho dele e ficava guardado debaixo da mesa da cozinha.

Em determinado momento, ainda xingando o homem, Patrícia teria desferido um golpe contra o caseiro, que conseguiu tomar o objeto da mão dela. Mesmo ferido em um dos dedos da mão esquerda e na parte de trás da cabeça, ele conta que de posse do objeto desferiu alguns golpes contra ela. Patrícia caiu no chão e ele saiu de casa às pressas, ficando escondido no mato, perto da chácara.

Arrependido

O homem ficou no meio da mata até se entregar à polícia nesta terça e disse estar arrependido. Ele disse que chorou muito. “Preferi ficar no mato porque estava muito assustado e não sabia o que fazer, refletindo muito eu decidi aqui comparecer e relatar tudo o que aconteceu. Reitero que estou muito arrependido. Não tenho passagem pela Polícia. Sou um homem honesto e trabalhador”.

Ele passou por exame de corpo delito e depois de ser ouvido foi liberado.

*Não perca a oportunidade de ficar bem-informado (a). Ganhe tempo e receba no seu Whatsapp as principais notícias do Vale do Paraíba. É simples, aperte o botão abaixo e entre no nosso grupo. 

Advertisement