VALE 360 NEWS – NOTÍCIAS DO VALE DO PARAÍBA E LITORAL NORTE

As principais notícias do Vale do Paraíba e do Litoral Norte em destaque

Pinda confirma os dois primeiros casos de Chikungunya. Casos de Dengue passam de 4 mil

Advertisement

Pinda confirma os dois primeiros casos de Chikungunya. Os dados constam do último boletim epidemiológico divulgado nesta quinta-feira (29/02). Além dos dois casos confirmados da doença, a cidade contabiliza em menos de dois meses 4.206 casos de Dengue. CLIQUE AQUI E ENTRE NO NOSSO CANAL DO WHATSAPP

Pinda também tem registro de duas mortes por Dengue em 2024. Os bairros com maior incidência da doença são: Ipê, Vila São Benedito, Mantiqueira, Pasin, Araretama e Moreira César.

Chikungunya

A chikungunya é uma doença viral transmitida principalmente pela picada do mosquito Aedes aegypti e também pelo Aedes albopictus. Ela é causada pelo vírus da chikungunya (CHIKV), pertencente à família Togaviridae, gênero Alphavirus.

Os sintomas da chikungunya geralmente se manifestam de 2 a 12 dias após a picada do mosquito infectado e podem incluir:

  1. Febre alta: A febre é um dos sintomas iniciais e pode ser de início súbito.
  2. Dores articulares intensas: A característica marcante da chikungunya são as dores articulares intensas, que afetam principalmente as articulações das mãos, punhos, pés e tornozelos. Essas dores podem ser debilitantes e persistir por semanas ou meses, e em alguns casos, até anos.
  3. Dores musculares: Dores musculares generalizadas podem ocorrer, semelhantes às observadas em casos de dengue.
  4. Erupção cutânea: Uma erupção cutânea pode se desenvolver, caracterizada por manchas vermelhas na pele.
  5. Fadiga: Fadiga intensa e mal-estar geral são comuns durante a infecção por chikungunya.
  6. Dor de cabeça: Alguns pacientes podem apresentar dor de cabeça intensa.
  7. Outros sintomas: Além dos sintomas mencionados acima, podem ocorrer náuseas, vômitos, fotofobia (sensibilidade à luz) e sintomas gastrointestinais, embora sejam menos comuns.

Prevenção contra a Chikungunya

A maioria dos pacientes se recupera completamente, mas algumas pessoas podem desenvolver complicações graves, como inflamação aguda das articulações, doença articular crônica e encefalopatia. Em casos raros, a chikungunya pode ser fatal, especialmente em pessoas mais vulneráveis, como idosos e indivíduos com condições médicas subjacentes.

O tratamento da chikungunya é principalmente sintomático e envolve o alívio dos sintomas, como febre e dor, com medicamentos analgésicos e antitérmicos. Não há tratamento específico para combater o vírus, e a prevenção da doença é fundamental, especialmente em áreas onde a transmissão é comum, através do controle do mosquito vetor e medidas de proteção individual.

A prevenção contra a chikungunya envolve principalmente medidas para evitar a picada do mosquito Aedes aegypti, que é o vetor responsável pela transmissão da doença. Algumas das medidas preventivas incluem:

  1. Eliminação de criadouros: Reduzir ou eliminar os locais onde o mosquito Aedes aegypti se reproduz, como recipientes de água parada, pneus velhos, vasos de plantas, e qualquer outro local onde a água pode se acumular.
  2. Uso de repelentes: Utilizar repelentes de insetos que contenham DEET, IR3535 ou Icaridina, especialmente durante os períodos do dia em que os mosquitos estão mais ativos, como ao amanhecer e ao entardecer.
  3. Uso de roupas adequadas: Vestir roupas de manga comprida, calças compridas e meias para minimizar a exposição da pele à picada de mosquitos.
  4. Uso de telas em janelas e portas: Instalar telas em janelas e portas para impedir a entrada de mosquitos dentro de casa.
  5. Proteção de bebês: Usar mosquiteiros em berços e carrinhos de bebê para proteger os mais jovens.
  6. Eliminação de água parada: Manter recipientes de água limpa e bem vedados, trocar a água de vasos de plantas regularmente e limpar calhas para evitar o acúmulo de água parada.
  7. Aedes aegypti: Conhecer os hábitos do mosquito transmissor da chikungunya, como sua preferência por se reproduzir em recipientes com água limpa, e agir de acordo para eliminar possíveis locais de reprodução.

É importante que essas medidas sejam adotadas de forma consistente e contínua, especialmente em áreas onde a chikungunya é endêmica ou durante surtos da doença. Além disso, a conscientização da comunidade sobre a importância da prevenção e o engajamento em esforços de controle de vetores também são fundamentais para reduzir a propagação da chikungunya.

Dia D contra o Mosquito da Dengue, Zika e Chikungunya

O Governo de São Paulo promove nesta sexta-feira (1), o Dia D de Mobilização Estadual contra a dengue. A estratégia reforça as ações de prevenção e eliminação dos focos do mosquito Aedes aegypti, com ações para conscientizar a população sobre a doença.

O evento é coordenado pelo Centro de Operações de Emergências (COE) do Governo de São Paulo e terá a participação das secretarias estaduais de Saúde e Educação, além de representantes da Defesa Civil, do Exército e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems).

“É fundamental mobilizar a sociedade e municípios neste Dia D. O trabalho de combate aos criadouros do mosquito precisa da união de todos os esforços possíveis para contribuir diretamente na redução do número de casos da doença”, explica Tatiana Lang D’Agostini, diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE).

Nesta sexta, as ações do Dia D incluem atividades especiais nas escolas públicas estaduais e municipais, orientação à população e fortalecimento das ações de combate aos vetores nas residências.

*Com informações do Governo de São Paulo

Não perca a oportunidade de ficar bem-informado (a). Ganhe tempo e receba no seu Whatsapp as principais notícias do Vale do Paraíba. É simples, aperte o botão abaixo e entre no nosso grupo.

Advertisement