"

VALE 360 NEWS – NOTÍCIAS DO VALE DO PARAÍBA E LITORAL NORTE

As principais notícias do Vale do Paraíba e do Litoral Norte em destaque

Vítimas buscam respostas para “arrastão” milionário em prédio comercial de São José dos Campos

Advertisement

Entre sábado e domingo (30/06), um arrastão atingiu várias salas comerciais no edifício Eco Tower, localizado na avenida Nelson D’ávila, em São José dos Campos. Diversos lojistas e empresários foram surpreendidos com portas arrombadas e bens de alto valor subtraídos. Os condôminos, agora, buscam respostas e ações por parte da administração do prédio e das autoridades. CLIQUE AQUI E ENTRE NO NOSSO CANAL DO WHATSAPP E RECEBA AS NOTÍCIAS EM PRIMEIRA MÃO

Carlos Henrique, empresário, descreveu o ocorrido em sua loja. “O síndico me ligou era umas 7:15 da manhã avisando que teriam entrado arrombando a porta da nossa sala comercial. A princípio, eu não acreditei. Desliguei achando que era um trote. Ele ligou novamente, falando que realmente não era um trote, que ele era o síndico. Se apresentou no momento e viemos para cá verificar o que aconteceu. Cheguei aqui, a porta estava arrombada. Tinha algumas ferramentas do arrombamento na poltrona da sala e vi que realmente o rapaz entrou e roubou tudo.”

Henrique continuou: “Roubou praticamente tudo. Todos os aparelhos celular, iPhone, Xiaomi, alguns acessórios. Perguntei para o síndico se ele já tinha identificado a pessoa que roubou e ele disse que foi o porteiro responsável pela segurança do período da noite. Ele estava arrombando a porta e fazendo esse furto.”

O empresário expressou indignação ao saber que o responsável pelo furto era um funcionário com antecedentes criminais. “Ficamos sabendo que o cara tinha até mesmo passagem pela polícia. Isso realmente deixou a gente impressionado e super chateado. Descobrimos que foram mais de 10 lojas lesadas, do décimo andar até o primeiro. Eu tive um prejuízo de mais de R$ 47.000.”

Henrique afirmou que, até o momento, não obteve respostas satisfatórias da administração do Eco Tower. “Estamos esperando uma resposta da empresa e da segurança. Procuramos um prédio comercial justamente para ter segurança. Até agora, não temos um posicionamento deles sobre quem vai arcar com o prejuízo.”

Maria do Carmo Rosa, outra vítima do arrastão, teve uma perda significativa em sua loja de semijoias. “Ele estourou a porta, entrou pela varanda e levou todas as semijoias que estavam guardadas em caixas. Ele sabia o que queria. Bagunçou tudo. O prejuízo que consegui levantar foi R$ 181 mil, mas pode haver mais coisas que não contabilizamos ainda.”

Maria do Carmo explicou como o criminoso poderia ter identificado os alvos. “Acredito que ele já estava vigiando as salas do período da noite e viu no Instagram o comércio do pessoal. Ele só foi nas salas que sabia que teriam um bom retorno.”

Ela também mencionou a falta de respostas da administração do prédio. “Hoje de manhã fiz o BO. O síndico veio com o advogado, conversou e nos acalmou. Mas não tenho certeza se serei ressarcida pelos valores que foram subtraídos.”

A administração do Eco Tower foi procurada pela reportagem, mas não estava no local. As investigações estão em andamento para apurar todos os detalhes do ocorrido e responsabilizar os envolvidos.

O suspeito do furto é um vigilante de, 42 anos, uma empresa terceirizada. Ele trabalhava no prédio há cerca de 4 meses.

*Não perca a oportunidade de ficar bem-informado sobre as notícias de turismo. Ganhe tempo e receba no seu Whatsapp. Aperte o botão abaixo e entre no nosso grupo. 

Siga nosso Instagram