VALE 360 NEWS – NOTÍCIAS DO VALE DO PARAÍBA E LITORAL NORTE

As principais notícias do Vale do Paraíba e do Litoral Norte em destaque

Casos de escarlatina preocupam cidades do Vale do Paraíba. O que é escarlatina e como se proteger?

Casos de escarlatina preocupam cidades do Vale do Paraíba. Em Jacareí, por exemplo, o aumento dos casos foi de 600% em 2023 e atinge, principalmente crianças. O surto, de acordo com especialistas acontece devido ao isolamento das pessoas no período da pandemia da Covid-19, que deixou à população menos preparada para combater a bactéria, que causa a doença.

Em Jacareí, de acordo com levantamento feito pela TV Vanguarda, houve um salto de 600% no número de casos de 2022 para 2023. Em 2022, de janeiro a outubro, foram três casos e, agora, são 23, no mesmo período. No Estado de São Paulo são ao menos 30 surtos da doença, de acordo com o Governo. Cidades do Vale do Paraíba e Litroal Norte estão alertas para a doença. CLIQUE AQUI E ENTRE NO NOSSO CANAL DO WHATSAPP 

A escarlatina, uma doença infecciosa que costumava assombrar o mundo no passado, está novamente sob os holofotes da medicina devido a surtos recentes em várias regiões do globo. Embora tenha perdido parte de sua notoriedade nas últimas décadas devido aos avanços na medicina e no tratamento de doenças infecciosas, a escarlatina ainda representa um desafio para os profissionais de saúde e requer atenção constante.

O que é escarlatina?

A História da Escarlatina:

A escarlatina, também conhecida como febre escarlate, era uma doença temida no século XIX. Ela era responsável por inúmeras mortes, principalmente entre crianças, devido às complicações que podia causar. Seus sintomas incluem febre alta, dor de garganta, erupção cutânea característica, língua em framboesa e descamação da pele. A doença é causada pela bactéria Streptococcus pyogenes, a mesma que provoca infecções de garganta, como a faringite estreptocócica.

A Revolução dos Antibióticos:

No início do século XX, a descoberta dos antibióticos, como a penicilina, revolucionou o tratamento de doenças causadas por bactérias, incluindo a escarlatina. O uso generalizado desses medicamentos reduziu significativamente a mortalidade associada à doença, tornando-a menos temida. A escarlatina, portanto, caiu em segundo plano no campo da saúde pública.

O Ressurgimento da Escarlatina:

Entretanto, nas últimas décadas, observou-se um ressurgimento da escarlatina em várias partes do mundo. O aumento de casos suscitou preocupações entre os profissionais de saúde, pois alguns casos se mostraram resistentes aos antibióticos convencionais, tornando o tratamento mais complexo.

Fatores Contribuintes:

Vários fatores podem ter contribuído para o retorno da escarlatina. A resistência aos antibióticos, a falta de imunização adequada em algumas comunidades e a facilidade de propagação da bactéria são alguns dos desafios enfrentados atualmente.

A Importância da Educação e Prevenção:

A educação sobre a escarlatina e a importância da vacinação e da higiene pessoal são fundamentais para conter a propagação da doença. Profissionais de saúde e pais devem estar atentos aos sintomas e procurar tratamento médico adequado o mais rápido possível, especialmente em crianças.

Como se proteger da escarlatina

Para se proteger da escarlatina, é importante seguir algumas medidas de prevenção e higiene pessoal. Lembre-se de que a escarlatina é causada pela bactéria Streptococcus pyogenes, que também pode causar faringite estreptocócica. Aqui estão algumas dicas para se proteger:

  1. Boa Higiene das Mãos: Lave as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, especialmente após tossir, espirrar, usar o banheiro e antes de comer. A higiene das mãos é uma das maneiras mais eficazes de evitar a propagação de infecções.
  2. Evite Contato Próximo: Evite o contato próximo com pessoas que tenham faringite estreptocócica ou escarlatina. Isso inclui evitar beijos, compartilhamento de utensílios e outros objetos pessoais com pessoas infectadas.
  3. Cubra a Boca e o Nariz: Ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com um lenço de papel ou o cotovelo flexionado, não com as mãos nuas. Descarte imediatamente os lenços usados e lave as mãos.
  4. Evite Compartilhar Utensílios: Evite compartilhar talheres, copos, pratos e objetos pessoais com outras pessoas, especialmente aquelas que estão doentes.
  5. Limpeza e Desinfecção: Mantenha superfícies comuns, como maçanetas, interruptores de luz e banheiros, limpas e desinfetadas regularmente, especialmente se alguém em sua casa estiver doente.
  6. Promova a Vacinação: As vacinas não estão disponíveis para prevenir a escarlatina, mas a imunização contra a difteria e o tétano (DT) é recomendada. Além disso, garantir que as crianças recebam as vacinas de rotina, incluindo a vacinação contra o Streptococcus pneumoniae, pode ajudar a reduzir o risco de infecções respiratórias.
  7. Tratamento Adequado: Se você ou alguém em sua família desenvolver sintomas como febre alta, dor de garganta, erupção cutânea, língua em framboesa ou qualquer sintoma suspeito de escarlatina, consulte um médico imediatamente. O tratamento com antibióticos, como a penicilina ou a amoxicilina, é eficaz para tratar a infecção bacteriana.
  8. Isolamento: Se alguém em sua família for diagnosticado com escarlatina, é importante seguir as orientações médicas quanto ao isolamento e à duração do tratamento com antibióticos para evitar a propagação da infecção.

Foto de Capa: NHS (Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido)

Não perca a oportunidade de ficar bem-informado (a). Ganhe tempo e receba no seu Whatsapp as principais notícias do Vale do Paraíba. É simples, aperte o botão abaixo e entre no nosso grupo.

Advertisement