VALE 360 NEWS – NOTÍCIAS DO VALE DO PARAÍBA E LITORAL NORTE

As principais notícias do Vale do Paraíba e do Litoral Norte em destaque

Prefeito de São José dos Campos contesta estudo de especialistas e garante que cidade não terá apagão por causa de carregamento de ônibus elétrico

Advertisement

Prefeito de São José dos Campos contesta estudo de especialistas e garante que cidade não terá apagão por causa de carregamento de ônibus elétrico. Anderson Farias (PSD) respondeu a uma pergunta de um seguidor na “Live” desta quinta-feira (16/11) a respeito do tema e disse que a cidade está preparada para a eletrificação da frota de ônibus. CLIQUE AQUI E ENTRE NO NOSSO CANAL DO WHATSAPP

Ele aproveitou para criticar às publicações do Vale 360 News, que se baseiam em estudo de professores da Fundação Getúlio Vargas, a mesma que fez estudo profundo do transporte coletivo em São José dos Campos, e da Escola Politécnica da USP e Unicamp. Além disso, Farias contradiz a própria EDP, que em nota disse estar à disposição da Prefeitura para orientações e tratativas a respeito da eletrificação da frota.

O Prefeito de São José dos Campos disse que já fala com a concessionária de energia a respeito do tema, porém não cita nenhum dado técnico a respeito de estudos para carregamento elétrico da frota na cidade. Ele simplesmente compara o acionamento de chuveiros pela população com o carregamento dos coletivos.

A resposta do gestor joseense é uma grande mistura de frases desconexas, como pode ser observado no vídeo abaixo. A reportagem também se coloca à disposição de Farias para debater o estudo dos especialistas a respeito da eletrificação da frota e os custos do sistema.

O que diz o estudo

Estudo da ANTP (Agência Nacional de Transportes Públicos), de outubro de 2023, aponta para a necessidade de adequações das redes de distribuição de energia elétrica nos bairros para que não falte luz na casa das pessoas que moram perto das garagens. As repercussões a respeito da eletrificação do transporte são amplamente discutidas no site especializado Portal Diário do Transporte.

Intitulado “Custos dos Serviços de Transporte Público por Ônibus Elétrico – Metodologia de Cálculo e Parâmetros”, o trabalho foi conduzido pelo professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas), Fernando Fleury Filho, e pelo Engenheiro Civil/Escola Politécnica/USP, Mestre em Transportes/UNICAMP e Consultor de Transporte, Rodrigo Eduardo Dias Verroni.

“Enquanto para o ônibus a diesel o abastecimento é de tecnologia bem definida e largamente experimentada (bomba de combustível), cujo carregamento é muito rápido, os equipamentos de carregamento de veículos elétricos ainda estão em fase de amadurecimento tecnológico. A infraestrutura elétrica necessária para suportar o carregamento de baterias constitui um item de grande importância e difícil padronização. A depender da capacidade dos carregadores instalados e do número de veículos que estarão em processo de recarga de forma simultânea, a reforma dos sistemas elétricos poderão implicar a implantação de subestações de média capacidade que demandarão autorizações específicas, projetos particularizados, análise da rede de transmissão,
além dos custos dos equipamentos em si”, diz o documento.

Ao Podcast do Transporte, Fleury Filho disse que a transição deve ser feita “de forma gradual e entendendo os próprios limites sobre a eletrificação da frota. Limites que por um lado vem exatamente da criação de uma margem de segurança para que os serviços possam ser sempre prestados com a qualidade necessária. Limites estabelecidos sobre a própria capacidade de geração e distribuição de energia, para que a gente evite riscos de desabastecimento pela forte demanda que uma eletrificação representaria para toda a capacidade de produzir e distribuir energia. Essa foi, infelizmente, uma aprendizagem na prática sobre uma das vertentes, mas que de certa forma alerta para o todo. A gente tem que planejar com muita cautela essa transição”, disse Fleury.

Segundo o especialista, a preocupação não pode ser confundida com ser contra ônibus elétricos, mas é acima de tudo preparar as cidades para que uma boa solução ambiental (mesmo não sendo a única), que é a eletrificação da frota do transporte coletivo, não seja prejudicada porque questões básicas não foram resolvidas.

Carregamento de ônibus elétricos podem deixar bairros inteiros de São José dos Campos sem energia. Entenda o que pode ocorrer

Não perca a oportunidade de ficar bem-informado (a). Ganhe tempo e receba no seu Whatsapp as principais notícias do Vale do Paraíba. É simples, aperte o botão abaixo e entre no nosso grupo.

Advertisement